sexta-feira, 9 de julho de 2010

Homenagens e lojas abertas movimentam o 9 de Julho
O feriado estadual em homenagem à Revolução Constitucionalista de 1932, nesta sexta-feira, promete ter comemorações e movimentação comercial. As lojas conveniadas à Acif (Associação do Comércio e Indústria de Franca) estarão abertas hoje, das 9 às 18 horas, conforme acordo entre os Sindicatos do Comércio Varejista e dos Trabalhadores no Comércio de Franca.
A expectativa dos lojistas é atrair os funcionários de fábricas e empresas que estarão fechadas neste dia. “Precisamos vender e esperamos um movimento 20% maior que em dias normais”, disse o comerciante Paulo Lopes.
A Polícia Rodoviária espera um grande movimento na tarde deste feriado. “Começamos uma operação na tarde de ontem, que segue até domingo. Estamos com radares nas rodovias e de olho, fiscalizando os motoristas para garantir mais segurança nas estradas”, disse o soldado Justino.

Os ranchos também devem ficar movimentados com o feriado prolongado. Segundo o Secretário de Turismo de Rifaina, Cláudio Masson, a expectativa é de que a cidade receba mil pessoas neste fim de semana. “A partir de agora, o fluxo só deve aumentar na cidade, ainda mais no final do mês, com a realização da Festa de Peão de Rifaina”, disse.
HOMENAGENS

Para celebrar a data, a Prefeitura, através da Divisão de Cultura e o Museu Histórico “José Chiachiri”, homenageará os voluntários francanos da Revolução Constitucionalista de 1932. A partir das 9 horas, autoridades e familiares dos ex-combatentes francanos farão um minuto de silêncio na Praça 9 de Julho. “Haverá também a participação dos atiradores do Tiro de Guerra, com a salva de tiros e o toque de silêncio, além do Hino Nacional, interpretado pelo tenor francano Saulo Couto”, disse Sérgio Menezes, diretor da Divisão da Cultura. Durante a semana, o Museu “José Chiachiri” realizou uma mostra com instrumentos, fotos e objetos da época.

Que feriado é este?


A reportagem do GCN Comunicação esteve na Praça 9 de Julho na tarde de ontem perguntando às pessoas qual a razão do feriado desta sexta-feira. Dos 25 entrevistados, 17 não sabiam o significado da Revolução Constitucionalista de 1932 (confira as respostas no site).
O dia 9 de julho marca o início da Revolução Constitucionalista de 1932. Em Franca, foram cerca de 700 soldados inscritos durante o movimento. Destes, o último a morrer foi Petronilho Teodoro da Silva, com 102 anos, em agosto do ano passado.
O Estado de São Paulo estava descontente com a política do então presidente Getúlio Vargas que, entre outras medidas, havia nomeado um interventor não paulista para o Estado e suprimido a Constituição de 1891, prometendo uma nova Carta, coisa que não fez.
Em 24 de julho de 1932, Antonio Constantino, redator do Comércio da Franca, conclamou a população da cidade a engajar-se na luta pela Constituição e pela legalidade do governo, através de um editorial de quase uma página: “Ei paulista?! (...) Trazes como eu o luto na tua alma (...) Ferve em teu peito a cólera sagrada de quem recebe em face a bofetada, o insulto e a vilania, a humilhação...”
A cidade formou um batalhão - o Batalhão de Caçadores Francanos (BCF) -, dividido em três companhias, cada qual com três pelotões.
Foram inscritos 727 voluntários conforme consta do Livro de Assinaturas dos Voluntários Francanos.
A Revolução estendeu-se por três meses e terminou com a derrota das forças paulistas. Apesar da vitória sobre São Paulo, Vargas adotou uma atitude conciliatória, convocando eleições para a escolha dos deputados que comporiam a Assembleia Constituinte para maio de 1933. Assim, a Revolução Constitucionalista, mesmo derrotada militarmente, atingiu seu objetivo: a elaboração de uma nova Constituição para o País.

Você sabe qual o significado do feriado do dia 9 de julho ?


A reportagem do GCN Comunicação esteve na Praça 9 de Julho na tarde de ontem perguntando às pessoas qual a razão do feriado desta sexta-feira. Confira algumas das respostas:
“Dia em que se comemora o dia do soldado constitucionalista. É quando os soldados lutaram pela constituição do País”

Leila, aposentada
“São os soldados que lutaram, aí teve um dia de homenagem a eles”

Mariana, 26, promotora de vendas
“Só sei que se trata sobre a polícia. Não sei explicar”

José, 60 anos, vendedor
“É a revolução de 1964”

Dirce, 55 anos, dona de casa
“Me parece que é sobre a guerra do estado de São Paulo com o estado de Minas gerais”

Sidnei, 37, Sapateiro
“É uma revolução que teve do estado de Minas Gerais com São Paulo”

Ângela, 43, Industrial.
“Amanhã 9 de julho é dia da Revolução Constitucional São Paulo e Minas. Se trata da revolução quando São Paulo queria entrar em ação com Minas Gerais, para ver quem era o "poderoso”

Geraldo, 73, aposentado
“Eu acho que eu já até estudei, mas esqueci”

Débora,18, estudante
"Hum...esqueci”

Regina, 50 anos

0 comentários:

Postar um comentário